Com a popularização das dietas que restringem o glúten, é cada vez mais comum encontrar pessoas que se dizem intolerantes à proteína presente em cereais como o trigo, o centeio e a cevada ao menor sinal de sensibilidade ao ingrediente.

No entanto, ainda que a confusão entre os termos seja bastante comum, a intolerância ao glúten ou doença celíaca e a alergia provocada pelo consumo de alimentos produzidos com esse ingrediente são problemas muito diferentes, que podem resultar em complicações graves quando não diagnosticados corretamente.

Pensando em esclarecer melhor esses termos e ajudar você a entender os sintomas e características da doença celíaca, criamos o artigo de hoje. Acompanhe a leitura e descubra se você pode ter intolerância ao glúten!

Qual a diferença entre intolerância e alergia ao glúten?

De acordo com a Organização Mundial de Saúde (OMS), 1% da população do planeta sofre de doença celíaca ou intolerância ao glúten.

Trata-se de uma enfermidade autoimune, ou seja, em que as células de defesa do organismo atacam as demais. A doença celíaca é desencadeada pelo consumo de glúten e provoca um processo inflamatório no intestino que diminui a absorção dos nutrientes.

Quando não tratada adequadamente, a intolerância ao glúten pode trazer complicações graves ao organismo, danificando as células do intestino e impedindo a absorção de vitaminas indispensáveis para o funcionamento dos órgãos.

Em casos mais graves, a falta de tratamento da doença celíaca pode provocar doenças renais e hepáticas, diabetes e até mesmo câncer no intestino e no sistema linfático.

Já a sensibilidade ou alergia ao glúten é um processo totalmente diferente. Estima-se que, no Brasil, cerca de 2 milhões de pessoas por ano sejam atingidas pelo problema, também chamado de sensibilidade ao glúten não-celíaca.

Trata-se de uma condição crônica de menor gravidade, em que o organismo encontra dificuldades em processar o glúten, o que provoca desconfortos diversos como inchaços na região abdominal, dores e erupções cutâneas.

Ainda que, tal como acontece na doença celíaca, o organismo não tolere bem a presença da proteína, o impacto provocado pelo seu consumo não é tão grande.

Pela similaridade dos sintomas, é bastante comum que a intolerância e a sensibilidade ao glúten sejam confundidas. No entanto, é importante estar atento para identificar corretamente o problema, uma vez que a doença celíaca é uma enfermidade que exige diagnóstico rápido para evitar complicações mais sérias.

Quais são os sintomas mais comuns de intolerância ao glúten?

Entre os sintomas mais frequentes da doença celíaca figuram:

  • diarreia crônica;

  • distensão abdominal;

  • perda de apetite;

  • má absorção intestinal;

  • dores abdominais;

  • náuseas e fadiga constantes.

Quais são os principais exames para diagnosticar a intolerância ao glúten?

Em geral, os exames de sangue que medem a resposta dos paciente a níveis controlados de glúten são os mais utilizados para o diagnóstico da doença celíaca. Conheça os mais comuns:

  • anticorpo antitransglutaminase;

  • anticorpo antiendomísio;

  • anticorpo antigliadina;

  • estudos moleculares DQ 2 e DQ 8.

O médico pode solicitar ainda uma biópsia do intestino para fechar o diagnóstico definitivo, que leva em consideração, além dos resultados dos exames, o histórico médico do paciente.

Você pode se interessar por esses outros conteúdos:

Afinal, você sabe o que é o Glúten?

Descobri que tenho intolerância ao glúten: e agora?

Mitos e verdades sobre a intolerância ao glúten

Receita sem glúten: confira este delicioso risoto de legumes!

Como cozinhar sem glúten? Descubra o que não pode faltar na cozinha

Panqueca Sem Glúten Com Carne Vegetal

Qual é o tratamento para quem tem intolerância ao glúten?

A doença celíaca não tem cura, e o único tratamento possível é seguir uma dieta sem glúten. Excluir do cardápio alimentos a base de trigo, cevada, centeio, malte e aveia é a melhor maneira de garantir qualidade de vida e evitar complicações graves.

No Brasil, desde 2003, uma lei obriga as indústrias alimentícias a registrarem na embalagem de seus produtos a presença da proteína. Por isso, se você tem intolerância ao glúten, precisa ter atenção redobrada na hora de ler os rótulos dos alimentos.

Também é importante lembrar que a proteína pode estar presente também em medicamentos e até mesmo em produtos que não levam esses ingredientes em sua composição, por meio da contaminação cruzada.

Apesar da necessidade de cuidados extras, receber o diagnóstico de intolerância a glúten não precisa ser sinônimo de diminuição da sua qualidade de vida. Atualmente, existe no mercado uma infinidade de produtos desenvolvidos especialmente para esse público.

Com uma dose de atenção ao que se coloca no prato e outra de criatividade, é possível cuidar da sua saúde sem abrir mão de receitas saborosas e que agradem ao seu paladar!

Gostou de saber o que é intolerância ao glúten e como descobrir se você tem o problema? Então não se esqueça de compartilhar esse artigo em suas redes sociais para que mais pessoas possam conhecer melhor o assunto!

Quer ficar por dentro de mais conteúdos como este? Assine a nossa newsletter!

Guia de Nutrição – Viva Melhor”, uma coletânea de artigos para você cuidar do seu organismo!