Muitos brasileiros têm descoberto que são intolerantes à lactose (o açúcar presente nos alimentos lácteos). É possível que o aumento esteja ligado à grande presença do leite e de seus derivados na base da nossa alimentação.

Esse problema pode se manifestar em qualquer fase da vida e estima-se que 70% da população do Brasil já é afetada por ele. E não são poucos os desconfortos causados.

Dentre os incômodos, estão os sintomas de intolerância à lactose que se manifestam na pele, o maior órgão do corpo e um dos primeiros a sofrer com processos de reação alimentar.

Sabendo do impacto desse transtorno na vida de muitas pessoas, listamos as principais manifestações dermatológicas que podem surgir. Acompanhe!

Acne e problemas cutâneos em geral

Os processos inflamatórios que atingem a pele podem se desenvolver a partir de um estresse gerado pela intolerância à lactose, ou, então, ser agravados pelo consumo de alimentos ricos nesse açúcar.

As pessoas que apresentam os sintomas desse transtorno são aquelas que possuem deficiência da enzima lactase, especialista na quebra do açúcar presente no leite e nos seus derivados.

Esses alimentos já são de difícil digestão para qualquer pessoa, imagine para aquelas que apresentam limitações em absorvê-los?

O resultado pode ser visto, literalmente, na pele: a alta secreção de insulina e a dificuldade do processo digestivo extravasam as toxinas sobre a cútis, que, desse modo, tende a apresentar vermelhidão, inchaços e feridas.

No caso dos processos acneicos, o efeito pode ser ainda mais grave do que uma leve sobrecarga inflamatória. Como a condição é crônica, o consumo contínuo da lactose tende a dificultar ainda mais o controle e a cura da derme, que fica irritada e com aspecto de estar machucada.

Urticárias e eczemas

A urticária é uma reação inflamatória da pele que se caracteriza pelo aspecto avermelhado e por áreas de inchaço, que, geralmente, afetam a região da cabeça — lábios, pálpebras, língua e garganta. Os locais das feridas coçam muito, causando bastante desconforto.

Já o eczema é um tipo de dermatite atópica, uma desordem de predisposição genética que é influenciada por agentes externos. Também de caráter inflamatório, essa condição é sinalizada por vermelhidão e até bolhas na pele, que fica com aspecto ressecado e com crostas, causando coceira, ardência e dor.

Esses dois distúrbios são bem complicados e podem ser estimulados por diversos motivos — predisposição genética, dificuldade do sistema imune em combater processos de inflamação ou hipersensibilidade a alguma substância, por exemplo.

E dentre os fatores que podem influenciar consideravelmente a piora desses quadros, está a intolerância aos produtos lácteos.

Além de propiciar os sinais já conhecidos (como náuseas, diarreia, vômitos e gases), a dificuldade em digerir o açúcar do leite atinge também a cútis, tornando-se um fator de complicação tanto para a saúde quanto para o bem-estar de modo geral.

Afinal, os sintomas de intolerância à lactose sobre a pele também podem motivar o afastamento social, já que as pessoas acometidas pelas inflamações tendem a sentir vergonha do aspecto visual da derme.

Portanto, o cuidado com a restrição alimentar, com uma dieta nutritiva e livre de componentes que ativam o problema, é essencial para não sobrecarregar o organismo e garantir que essa condição não prejudique a qualidade de vida.

Gostou de entender melhor como os sintomas de intolerância à lactose podem afetar a pele? Quer ficar sempre por dentro das novidades que postamos aqui? Assine a nossa newsletter!