Como anda a sua saúde? Quais são seus hábitos alimentares e demais práticas relacionadas à qualidade de vida?

Já pensou na possibilidade de adotar um estilo de vida mais saudável, como o vegetarianismo, por exemplo?

A prática é baseada no foco em consumir alimentos de origem vegetal — trata-se de um estilo de vida que exclui as carnes da dieta ou, dependendo do tipo de vegetarianismo praticado, também outros produto de origem animal. 

Siga na leitura e saiba mais!

Entendendo as divisões existentes no estilo de vida vegetariano

O vegetarianismo possui, basicamente, quatro classificações, todas elas baseadas nos tipos de alimentos que são consumidos por quem adere ao movimento. São elas: 

  • Ovolactovegetarianismo: O termo “ovolactovegetarianismo” nomeia aqueles vegetarianos que não consomem nenhum tipo de carne ( seja ela bovina, suína, de aves, frutos do mar, peixes ou de qualquer outra espécie), no entanto, seguem ingerindo outros derivados animais — como, por exemplo, laticínios, ovos e mel.
  • Lactovegetarianismo: O grupo de lactovegetarianos,  por sua vez,  não exclui os laticínios de sua alimentação. Em contrapartida, aqui, além das carnes, também não há o consumo de ovos.
  • Ovovegetarianismo: Já os ovovegetarianos, ao contrário dos lactovegetarianos, não excluem o consumo de ovos da rotina alimentar, mas, sim, os laticínios.
  • Vegetarianismo estrito: Por fim, o vegetarianismo estrito é a categoria de vegetarianismo dedicada àqueles que optam por não consumir nem carnes, nem laticínios, nem ovos, ou qualquer outro tipo de ingrediente de origem animal. É nesse grupo que se encaixam os chamados veganos — estes, porém, excluem os produtos de origem animal não só da dieta, mas de todas as áreas da vida, como do setor de vestuário, de higiene pessoal, de limpeza, de lazer (não participando de atividades como touradas, nem mesmo frequentando lugares como zoológicos, por exemplo), e de todos os demais setores. 

Como o estilo de vida vegetariano melhora a sua qualidade de vida 

O vegetarianismo proporciona aos seus adeptos diversos benefícios, tantos físicos quanto emocionais. Dentre eles:

  • Redução dos níveis de colesterol sanguíneo;
  • Maior consumo de substâncias antioxidantes;
  • Controle do peso;
  • Melhora do trânsito intestinal e digestivo;
  • Controle da pressão arterial;
  • Diminuição do risco de surgimento de diabetes;
  • Melhora da saúde da pele, das unhas e dos cabelos;
  • Redução dos sintomas de problemas psicológicos, como a depressão e a ansiedade;
  • Além de mais energia, disposição e sensação de bem-estar. 

O estilo de vida também ajuda a prevenir algumas doenças, como: 

As cardiovasculares 

Vegetarianos correm menores riscos de contrair cardiopatias, aquelas doenças do coração. O motivo? O que acontece é que o consumo excessivo de proteína animal ajuda a elevar os níveis de LDL — sigla para Low Density Lipoproteins, que significa lipoproteínas de baixa densidade, e também é conhecida como “mau colesterol”, e que aumenta o risco de infartos.

Outro ponto positivo do vegetarianismo nesse sentido, é que os adeptos ao estilo de vida costumam aumentar o consumo de frutas, verduras e legumes — alimentos que são isentos de colesterol e, além disso, ricos em antioxidantes, substâncias que reduzem as inflamações, e protegem o coração.

A diabetes

Um estudo publicado na revista Cardiovascular Diagnosis And Therapy, no final de 2014, revelou que a dieta vegetariana pode ajudar a estabilizar os níveis de açúcar no sangue, prevenindo e controlando a diabetes. Conforme os pesquisadores, a retirada da proteína animal da alimentação e a inserção de produtos vegetais  são uma excelente alternativa para o tratamento e prevenção da diabetes tipo 2.

Vale salientar, ainda, que uma alimentação baseada no vegetarianismo também ajuda a controlar a pressão arterial.

Alguns tipos de câncer

Estudos científicos reunidos pela ADA, já em 2007, apontavam que indivíduos que não excluíam as proteínas animais do seu cardápio tinham um risco 88% maior de sofrer com o câncer de intestino grosso; e que os não vegetarianos corriam 54% mais risco de sofrer de câncer de próstata do que os adeptos à alimentação livre de proteína animal.

Então, depois de todos esses prós, que tal pensar em adotar um estilo de vida vegetariano? Confira o Quiz que vai dizer se o se modo de vida combina mais com o vegetarianismo ou veganismo

Siga a Superbom nas redes sociais:

Siga a Superbom no Facebook!Siga a Superbom no Twitter!Siga a Superbom no YouTube!Siga a Superbom no Instagram!