Dores e desconfortos, principalmente na região abdominal são os principais sintomas dos gases. Só quem sofre com esse problema é capaz de explicar os diversos infortúnios e transtornos que ele pode gerar. E quando você fala para alguém que tem o problema, logo a pessoa se transforma em um especialista e começa a opinar e questionar a sua dieta. Já passou por isso?

“Você come muito repolho?”

Essa é uma pergunta tão comum e presente nessas horas, não é mesmo? Ouvimos da nossa mãe, tia, amigo, todos querendo diagnosticar o problema sem, de fato, ter a validação de um profissional habilitado para falar do assunto. Agora, será que realmente o consumo de alimentos como brócolis ou repolho potencializam a possibilidade de se ter gases? E a resposta é um “sim”.

E a lista é ainda maior com a presença da couve-flor, couve mineira, couve de Bruxelas, mostarda, feijão, grão de bico, batata doce, que também protagonizam o agravamento dos temidos e indesejados gases.

Segundo especialistas, esses alimentos possuem uma proteína muito rica em aminoácidos sulfurados. Quando eles chegam ao tubo digestivo sofrem um processo de fermentação através da utilização de bactérias intestinais e óxido de enxofre (um gás que possui um cheiro não muito agradável).  

O odor não é o principal fator de incômodo. A produção de gases atrapalha a digestão, por esse motivo é recomendada a ingestão moderada dos vegetais que têm esse “poder” desagradável.

Agora, não vale cortar de vez os alimentos. A questão toda está na moderação e combinações em cada refeição. Evite, por exemplo, misturar vegetais que corroborem na formação dos gases numa mesma refeição. Misture-os com outras tipos de verduras para que os “efeitos colaterais” sejam amenizados. 

Outra dica valiosa, mas nesse caso se aplica aos grãos e tubérculos é deixa-los de molho por, no mínimo 6 horas.  Depois do molho você vai perceber a água com bolhas ou com uma colocação diferente. É só jogar fora a água do molho e cozer o alimento. Nem todo mundo tem o costume de seguir esse processo, principalmente com o feijão, prato presente no cotidiano do brasileiro.

E mais uma afirmação foi desvendada pelo quadro “mito ou verdade” do Blog da Superbom. Gostou?

Você sabe que pode participar comentando e compartilhando esse conteúdo, né? Aproveita e segue a gente lá nas redes sociais.

Fonte: Vya Estelar