Não é novidade para ninguém que uma noite bem dormida de sono pode elevar a qualidade do dia e melhores rendimentos no trabalho, estudo e nas atividades diárias de um modo geral. Mas os especialistas do Conselho Britânico do Sono foram além e afirmaram que quem dorme menos de seis horas por noite aumenta em 12% o risco morte prematura.

Segundo os estudiosos, a falta de descanso estimula a liberação de hormônios responsáveis por elevar os níveis de estresse, acelerar o ritmo cardíaco e aumentar a pressão sanguínea, fatores que provocam uma série de problemas de saúde, como o diabetes e cardíacos.

O parecer dos especialistas revelou que os efeitos da falta de sono na vida de adolescentes podem ser ainda piores (no longo prazo), pois é uma etapa da vida em que o organismo está em pleno desenvolvimento. O sono de má qualidade deixa as funções cerebrais mais lentas, o que, no caso de um adolescente, afeta o aprendizado e compromete o desenvolvimento físico.

Outros estudos anteriores já haviam apontado que uma hora a menos de sono por noite dobra o risco de obesidade. Isso se justifica pois durante a noite, nas fases mais profundas do sono, ocorre uma síntese de uma série de hormônios associados ao controle do peso.

Portanto, é mais do que fundamental se atentar para um sono com média de 7 a 8 horas para que o corpo tenha um repouso suficiente e adequado, garantindo, assim, uma melhor saúde e qualidade de vida do corpo.

Fonte: Veja Saúde