Dietas da moda surgem com uma certa regularidade no mercado de alimentação, saúde e emagrecimento, com o intuito de auxiliar pessoas a alcançar a forma física – ou a qualidade de vida – que sempre sonharam.

Muitas dessas dietas têm seus benefícios contestados por profissionais da saúde, mas nem por isso elas deixam de surgir. Uma das mais novas “tendências” desse universo é a dieta cetogênica. Será que ela é uma alternativa saudável? Nesse artigo falamos um pouco mais sobre ela!

O que é a dieta cetogênica?

A dieta cetogênica tem uma redução significativa no consumo de carboidratos: cerca de 50g por dia ou 10% do valor energético total na alimentação diária.

Para garantir que o indivíduo consiga viver com um volume tão baixo de carboidratos (afinal, o recomendado diário é de cerca de 50 a 60% do valor energético total da alimentação), é necessário aumentar o consumo de gorduras e proteínas. Na dieta cetogênica, entretanto, a maior fonte de energia é a gordura, chegando a ser responsável por 70% das necessidades energéticas nesse estilo de alimentação.

Em muitos casos, a dieta cetogênica é utilizada por especialistas em saúde como uma estratégia temporária, seja para adaptação a um novo quadro alimentar ou mesmo para alcançar alguma demanda específica. Entretanto, é cada vez maior o número de pessoas interessadas em adotar a dieta cetogênica por um período maior de tempo.

Quais as diferenças entre a dieta cetogênica e a low carb?

A dieta low carb, diferentemente da cetogênica, é basicamente de baixa ingestão de carboidratos. Poderíamos até dizer que a dieta cetogênica é um tipo de low carb, entretanto, é importante saber a distinção.

Uma dieta low carb consiste na ingestão abaixo de 200g de carboidratos ao dia. Essas práticas geralmente se baseiam na oferta de 50 a 150g de carboidratos diários, ou um volume que esteja abaixo de 40% do valor energético total da dieta.

Nesse tipo de alimentação, especificamente, as proteínas são a principal fonte de energia e, por isso, seu consumo é elevado. Além de garantir a manutenção da ingestão energética, a intenção é também garantir preservação da massa magra e maior saciedade.

Quais são os benefícios da dieta cetogênica?

O objetivo principal da dieta cetogênica praticada atualmente é garantir uma perda de peso rápida, visto que esse tipo de alimentação reduz drasticamente o volume de açúcar presente no sangue, dificultando a formação de novos tecidos adiposos e ganho de peso. Esse é apontado como o seu principal benefício.

De qualquer maneira, a forma como essa redução de carboidratos se comporta, a longo prazo, no organismo ainda é um mistério. Por isso, sua prática ainda é contestada por muitos especialistas em saúde.

Outro benefício apontado por praticantes da dieta é o aumento do metabolismo corporal, que também interfere de maneira positiva na redução de peso do indivíduo. Isso acontece porque a quebra da molécula de gordura para gerar energia demanda mais trabalho do corpo, o que leva o organismo a aumentar o metabolismo corporal.

Quais são os riscos da dieta?

Mais importante do que conhecer os benefícios dessa dieta, é importante estar atento aos riscos da Dieta Cetogênica, visto que ela é uma prática bastante restritiva e que expõe o organismo ao seu limite para perder o máximo de peso.

Por isso, além do risco de desenvolver um quadro de deficiência nutricional (por estar deixando de consumir um grande volume de vegetais, frutas e grãos, que são fonte de carboidrato), o praticante da dieta cetogênica pode desenvolver, a longo prazo, problemas renais, hepáticos, alterações de humor, sensação de confusão mental e quadros graves de constipação.

Quem pode e quem não pode fazer a dieta cetogênica?

É importante entender que não existe um tipo de dieta que é considerado ideal ou não para uma pessoa. O ideal é fazer, junto com um especialista em alimentação e nutrição, um acompanhamento para modelar seus hábitos alimentares e garantir a qualidade da sua saúde.

De qualquer maneira, a prática da dieta cetogênica não deve ser incentivada em indivíduos que apresentam algum tipo de deficiência nutricional, doença renal, gastrointestinal ou algum distúrbio alimentar.

Mesmo que você não esteja em um dos grupos citados acima, para praticar a dieta cetogênica é importante procurar, antes, a ajuda de um médico ou nutricionista para saber se essa é a prática ideal para você.

Quais são as melhores fontes vegetais para essa dieta?

Para quem optar em fazer esse tipo de dieta e quiser focar apenas no consumo de alimentos de origem vegetal (ou pratos vegetarianos), vale lembrar que o consumo de frutas e legumes é, na grande maioria das vezes, não incentivado. Alguns alimentos vegetais específicos fazem parte da lista de produtos permitidos nessa dieta. Os principais (ricos em proteína ou em gordura vegetal) são:

  • Couve de bruxelas;
  • Aspargos;
  • Pimentão;
  • Cebola;
  • Alho;
  • Cogumelo;
  • Pepino;
  • Abobrinha;
  • Couve-flor;
  • Aipo;
  • Brócolis;
  • Feijão;
  • Soja;
  • Ervilha;
  • Grão-de-bico;
  • Amendoim;
  • Noz;
  • Castanha;
  • Linhaça;
  • Chia;
  • Mostarda.

Você conhecia a dieta cetogênica? Conte para a gente suas dúvidas e impressões sobre essa prática!

Quer mais dicas sobre alimentação saudável? Baixe o e-book “Vegetarianos: Como e onde viver”.