Sustentabilidade é um conjunto de medidas que visam diminuir os danos ambientais que o desenvolvimento — social, econômico e cultural — pode causar no futuro das próximas gerações. São ações que contribuem para a preservação do meio ambiente.

Ser uma pessoa sustentável é se preocupar com as consequências que suas atitudes podem trazer para o planeta. Isso inclui diversas áreas da vida, como o vestuário, o transporte, a utilização da água e a alimentação, por exemplo. Aliás, já parou para pensar no impacto que a nossa alimentação pode causar na natureza?

A produção de animais para consumo e a plantação de transgênicos são exemplos de produções pouco sustentáveis. Além disso, todo o processo de transporte, embalagem, armazenamento e até a forma como o consumidor compra e prepara esses alimentos, trazem consequências para o planeta.

Uma alimentação mais sustentável é viável mudando alguns hábitos no dia a dia, e se conscientizar é o primeiro passo. Quer saber como isso é possível? Então, continue a leitura e veja as dicas que temos para você!

Compre consciente

As compras por impulsividade, no final das contas, podem acabar indo para o lixo. Saber exatamente o quanto você e sua família consomem de alimentos evita os excessos. Dessa forma, além de economizar dinheiro, também evita o desperdício. Portanto, antes de ir às compras, anote os itens que já tem em casa para não correr o risco de obter mais do que precisa.

Outra dica é observar as datas de vencimento dos produtos, dando preferência em comprar os que estão com maior prazo de validade. Assim, você terá mais tempo para utilizá-los e a probabilidade de ter que jogá-los fora, por terem estragado, é menor.

Além disso, compre de produtores locais. Quanto menos transporte utilizar para aquele alimento chegar à sua mesa, menos recursos são utilizados e menos poluição é lançada na atmosfera.

Consuma orgânicos

Os alimentos orgânicos são cada vez mais procurados por seus inúmeros benefícios à saúde. Além de serem mais saborosos, contêm mais nutrientes por terem o tempo de desenvolvimento natural respeitado. Isso só é possível porque nessa prática não são utilizados agrotóxicos e mutações genéticas (caso dos transgênicos) nas plantas, nem hormônios e antibióticos nos animais.

A agricultura e pecuária convencionais agridem diretamente o meio ambiente, contaminando o solo e as águas. Por isso, diminuir o consumo desses alimentos contribui para a sua saúde e para a preservação de todo um ecossistema.

É verdade que a alimentação orgânica ainda é mais cara e, em alguns lugares, difícil de encontrar. Mas tente optar pelas frutas e verduras da época, pois saem mais em conta. Além disso, as feiras costumam ter bancas com vegetais fora do padrão, mas em bom estado, que são mais baratos e você pode fazer sucos, molhos e outras preparações.

Mesmo que você não consiga que 100% da sua alimentação seja orgânica, tente transformá-la o máximo possível. Quanto mais pessoas consumirem esse tipo de alimento, mais fácil de ser encontrado e mais barato ele fica.

Adote uma dieta vegetariana

Ter uma alimentação isenta de qualquer produto animal é a melhor opção quando se fala em sustentabilidade. Isso porque os animais, com a finalidade de consumo, requerem grande quantidade de recursos naturais e emitem um grande volume de gases de efeito estufa, como o metano.

Para você ter uma ideia, para cada quilo de carne bovina são necessários 16 mil litros de água e 5 kg de alimentos de origem vegetal, que poderiam alimentar muita gente. Sem falar no desmatamento para formação de pasto.

Muitas pessoas não conseguem ficar sem carne e são habituadas a comer todos os dias. Para elas, a solução para ser mais sustentável é cortar o excesso. Precisamos de 0,9 gramas de proteína por quilograma de peso corporal por dia. Uma boa opção é calcular a quantidade a ser ingerida e não consumir mais do que o necessário. Além disso, existem fontes vegetais de proteína que podem ser introduzidas no cardápio, ajudando a diminuir ainda mais o consumo de produtos animais.

Há, ainda, uma campanha chamada Segunda Sem Carne, que tem como objetivo conscientizar a população dos impactos causados pelo consumo de produtos de origem animal. Ela consiste em não comer carne pelo menos um dia da semana, sendo escolhida a segunda-feira. Assim, eles querem mostrar que é possível ter uma alimentação gostosa, somente com vegetais. Essa também pode ser uma boa alternativa para quem quer reduzir a ingestão de proteína animal e aderir aos poucos à dieta vegetariana.

Evite o desperdício

Segundo um levantamento feito pelo Programa da ONU para o Meio Ambiente (PNUMA), quase um terço dos alimentos produzidos para consumo humano são desperdiçados todos os anos. Mais da metade do lixo brasileiro é orgânico, ou seja, são restos de alimentos do prato ou que poderiam ter sido aproveitados. Já imaginou o quanto poderia diminuir a fome mundial, apenas evitando esses desperdícios?

Fique de olho nas datas de validade dos produtos na sua despensa e geladeira, dando prioridade aos que vencem primeiro na hora de preparar. Nada pior que jogar fora um alimento, que às vezes nem foi mexido, porque passou do prazo de validade.

A nossa cultura é de fartura à mesa e, com isso, os excessos vão para o lixo. Portanto, atente-se em preparar somente o que você e sua família vão comer, para evitar as sobras. Aliás, se por algum outro motivo tenha sobrado comida, faça receitas que possam reaproveitá-la.

Aproveite integralmente os alimentos

Os talos, as cascas, as folhas e as sementes dos vegetais geralmente são descartados ao serem preparados para uma refeição. Mas são nessas partes das plantas que se concentram a maior parte dos nutrientes. Aproveitar integralmente os alimentos é utilizar desses recursos para fazer pratos saborosos, saudáveis, econômicos e que evitam o desperdício.

Fazer um suco com a casca do abacaxi, doce da casca da banana, petiscos da semente de abóbora, bolinhos com talos e folhas de brócolis e uma infinidade de pratos que vão além do usual, deixam a culinária mais sustentável. Assim, não somente o sabor e os nutrientes são levados em consideração, mas também a importância de honrar o alimento como um todo.

Ter uma alimentação mais sustentável não é difícil, basta tomar alguns cuidados, que, como você pôde ver, são dicas que todos podemos colocar em prática. E se cada um fizer a sua parte, o futuro do planeta vai ser bem melhor!

E aí, gostou do nosso post? Ficou com alguma dúvida ou quer acrescentar alguma informação? Conte para a gente nos comentários!