É muito frequente pais se queixando pelo comportamento dos filhos como irmãos. Brigas, gestos egoístas e, muitas vezes, agressividade fazem com que os pais sofram e anseiem por uma parceria amigável entre as crianças. As discórdias são normais, fazem parte da natureza humana, mas o relacionamento entre os irmãos pode ser melhorado muito se a família seguir alguns preceitos básicos da boa convivência.

É comum que o maior erro esteja com os progenitores, incapazes de serem referências aos pequenos ou, até mesmo, incitando, inconscientemente, a discórdia. O Blog da Superbom separou algumas dicas que vão ajudar a promover um ambiente familiar de compreensão, amor e generosidade entre toda a família.

amigos

Respeite o jeito de cada um, valorizando as diferenças. Não compare um filho a outro. Sempre ressalte as qualidades que cada um tem, pontuando as diferenças e a capacidade que todos temos de sermos únicos e igualmente especiais.

Estimule a cooperação no lugar da competição. Propor atividades em conjunto (como brincadeiras, jogos e passeios) que possam ser desenvolvidas com os pais ou promovidas para serem realizadas apenas entre os irmãos. As crianças podem ser influenciadas também a se ajudarem em atividades cotidianas de cada uma delas.

Maior diferença de idade requer atenção redobrada dos pais. Tentar não sair só com um filho. Se acontecer de ter que ir sozinho com um deles a uma loja, por exemplo, compre uma lembrancinha para os outros. Todos terão a sensação de ter feito parte do programa.

A relação parceira dos pais é sempre um grande referencial na forma como os filhos vão se portar uns com os outros. Demonstrar amor e carinho estimula a cumplicidade e cria também um ambiente seguro para interação entre os irmãos.