Como sabemos, tudo que é artificial não agrega em nossa saúde. A alta concentração de açúcar refinado em alimentos industrializados, acarretou diversos problemas de saúde para quem consome. Com a ideia de tentar minimizar os danos, adoçantes naturais e artificiais foram desenvolvidos para substituir o uso de açúcar refinado em vários produtos.

Inicialmente essa ideia dos produtos com adoçantes era voltada para uma faixa mais restrita de consumidores, os diabéticos. Com o tempo, os consumidores foram assumindo uma preocupação cada vez maior e mais crescente com a saúde, então o mercado sentiu a necessidade de  criar a linha de produtos light e diet para atender a demanda.

E a pergunta que não quer calar é: Qual a melhor opção de adoçantes para a saúde? Especialistas explicam que os naturais sempre são a melhor opção, e os artificiais em geral devem ser evitados, como a aspartame, a sacarina e ciclimato de sódio, que está presente nos refrigerantes zero também. Já o esteviosídeo (adoçante natural), não agride a saúde, mas é recomendável pelos especialistas, que o uso seja sempre em pequenas dosagens.

Nossa nutri recomenda o açúcar mascavo e o mel, que servem como adoçantes naturais. Levando pelo lado nutricional, são muito mais saudáveis, porém, podem provocar o aumento da glicose, mesmo efeito que o açúcar refinado causa. Usados com moderação, podem ser uma ótima escolha para substituir o refinado, na hora de adoçar algum alimento ou bebida.

Para maiores indicações, procure seu médico ou nutricionista para obter melhores informações e descobrir a melhor forma de usar adoçantes.

Por: Tainá Macedo