Com o passar dos anos, o estilo de vida vegetariano vem ganhando cada vez mais adeptos ao redor do planeta. Muito mais do que uma dieta (embora excluir certos componentes da alimentação seja um dos meios de ativismo), o vegetarianismo é uma maneira de falar por aqueles que não têm voz: os animais.

De acordo com pesquisas recentes, cerca de 375 milhões de pessoas em toda a população mundial são vegetarianas. No Brasil, os números beiram os 15 milhões (em torno de 8% de todos os habitantes), e felizmente crescem mais a cada dia.

Mas afinal de contas, o que é ser vegetariano? Como esse pensamento surgiu em nossa sociedade? Quais são as divisões existentes atualmente? Para responder essas e outras perguntas, preparamos este post muito informativo para você. Boa leitura!

Como surgiu o vegetarianismo?

É difícil precisar exatamente quando o conceito de vegetarianismo começou a ser incorporado em nossa sociedade. De acordo com achados pré-históricos, nossos antepassados mais distantes eram completamente vegetarianos e conviviam em harmonia com os animais.

Milhares de anos depois, no Egito antigo, esse estilo de vida voltou a ser adotado por razões espirituais. De acordo com os egípcios, a abstenção de carne facilitava a reencarnação daqueles que se foram. Nos séculos que se seguiram, outras civilizações adotaram o vegetarianismo, como alguns povos celtas, chineses e indianos.

Ainda é possível, nos dias atuais, encontrar religiões e povos que buscam uma coexistência pacífica com os animais, mesmo que não seja uma regra ou mesmo que possuem a dieta vegetariana como um dos princípios para uma vida saudável. Entre elas podemos citar os budistas, adventistas do sétimo dia e espíritas.

Quais são as divisões existentes?

Embora seja muito mais do que uma simples dieta ou escolhas alimentares, o vegetarianismo tem algumas classificações baseadas na alimentação de seus adeptos. Confira mais detalhes a seguir:

Ovolactovegetarianismo

Essa é, provavelmente, a classificação que conta com o maior número de vegetarianos. Praticamente todos os vegetarianos passarão, em um primeiro momento, por uma fase de ovolactovegetarianismo.

Esse grupo envolve pessoas que, apesar de não consumirem nenhum tipo de carne (bovina, suína, de aves, frutos do mar, peixes ou qualquer outra espécie de animal), continuam ingerindo outros derivados, como laticínios, ovos e mel.

Lactovegetarianismo

Os lactovegetarianos, como o próprio nome já diz, não excluem os laticínios de sua alimentação. O que os difere dos ovolactovegetarianos é, justamente, o consumo de ovos, que não é praticado por esse grupo.

As razões para a adesão desse tipo de alimentação pode estar ligada a crenças religiosas ou motivos de saúde, como alergias ao ovo.

Ovovegetarianismo

Assim como os lactovegetarianos, os ovovegetarianos excluem todas as carnes de sua alimentação. A diferença aqui está no consumo de ovos e na exclusão do leite e dos seus derivados da rotina alimentar.

Como a intolerância à lactose e à proteína do leite são extremamente comuns em nossa sociedade, o número de vegetarianos que optam por excluir o leite de suas vidas não é tão pequeno.

Vegetarianismo estrito

Os vegetarianos estritos são aqueles que optam por não consumir absolutamente nenhum ingrediente de origem animal. Por isso, produtos derivados do leite ou que contenham ovos, mel e outras substâncias oriundas de animais não fazem parte do dia a dia desse grupo.

É nesse grupo que os veganos estão. Porém, eles também excluem os produtos de origem animal de todas as áreas de suas vidas, como do vestuário, dos produtos de higiene pessoal e de limpeza utilizados e do lazer, boicotando atividades como touradas, parques aquáticos e zoológicos, por exemplo.

Quais são os fatores que estimulam a sua prática?

Muitos fatores podem influenciar um indivíduo a se tornar vegetariano. No entanto, na maior parte das vezes, a motivação parte de um sentimento de compaixão pelos seres vivos sencientes, que têm a capacidade de sentir dor, medo e amor.

Além disso, preocupações com o meio ambiente — já que a pecuária é uma das maiores causas de desmatamento em todo o mundo — e com a saúde também podem incentivar uma pessoa a buscar um estilo de vida um pouco mais verde.

Quais são as vantagens desse estilo de vida?

A escolha de se tornar vegetariano pode ser extremamente benéfica para qualquer pessoa. Com os devidos cuidados, é possível ser saudável e desfrutar de todos os benefícios (físicos e emocionais) que esse estilo de vida traz para os seus adeptos. Confira os principais:

  • diminuição do risco de doenças cardiovasculares;
  • redução dos níveis de colesterol sanguíneo;
  • maior consumo de substâncias antioxidantes;
  • facilita um emagrecimento saudável e possibilita o controle do peso;
  • mais energia e disposição;
  • melhora do trânsito intestinal e da digestão;
  • controle da pressão arterial;
  • diminuição do risco de surgimento de diabetes;
  • promoção da saúde da pele, das unhas e dos cabelos;
  • maior sensação de bem-estar;
  • redução dos sintomas de problemas psicológicos, como a depressão e a ansiedade;
  • mais longevidade.

Além disso, podemos citar as inúmeras vantagens e benefícios trazidos ao meio ambiente, como a redução do desmatamento e a economia de água e de diversos outros recursos naturais, amplamente utilizados para a produção de derivados animais.

Como fazer uma transição saudável?

Animado para mudar e começar um novo estilo de vida recheado de benefícios para o corpo e a mente? Por mais que o vegetarianismo seja comprovadamente saudável, é importante fazer escolhas conscientes e seguras.

Por isso, nada de mudanças drásticas e sem um bom planejamento prévio, certo? Quando falamos sobre a nossa saúde, todo cuidado é pouco.

Ao decidir se tornar vegetariano, é imprescindível se consultar com um médico ou nutricionista de confiança, que solicitará os exames necessários para avaliar a inclusão e a substituição correta de alimentos de acordo com o seu estilo de vida e necessidades nutricionais.

E aí, tirou todas as suas dúvidas? Agora que você já sabe tudo sobre o vegetarianismo, que tal começar ainda hoje a sua transição para um estilo de vida muito mais saudável? Venha para o lado verde da força!

Aproveite e aprenda, neste post especial, um pouco mais sobre o veganismo, a filosofia que visa o abolicionismo animal. Até a próxima!