Os realçadores de sabor, ou aditivos alimentares, são substâncias adicionadas aos alimentos na fase de processamento com a finalidade de prolongar o seu período de validade ou melhorar o seu gosto e apresentação.

Esses realçadores são facilmente encontrados em produtos industrializados, em que não apresentam intenção de nutrir, mas sim modificar as suas características químicas, físicas ou biológicas e tornar o alimento mais aprazível ao paladar.

Existem diversos tipos de aditivos alimentares — corantes, conservantes, adoçantes, emulsionantes, antioxidantes etc. —, e há uma grande preocupação quanto aos riscos que eles trazem para a saúde, principalmente quando o consumo de alimentos processados é alto.

Confira abaixo como funcionam os realçadores de sabor e como eles podem ser prejudicais à nossa saúde se não forem consumidos com cautela. 

Realçador de sabor e os riscos para a saúde

A mudança nos hábitos alimentares e o consumo exagerado de produtos industrializados levaram a uma série de estudos científicos que comprovaram o risco que as substâncias realçadoras de sabor oferecem para nossa saúde.

Entre os problemas mais graves, podemos citar o aumento na probabilidade de desenvolvimento de câncer, aparecimento de reações alérgicas e até mesmo a incidência ao déficit de atenção e à hiperatividade.

Alguns dos produtos mais consumidos pelos brasileiros são cheios de realçadores de sabor, como é o caso dos refrigerantes, biscoitos, macarrões instantâneos, cereais matinais, sucos artificiais e das gelatinas.

Pelo ponto de visto tecnológico, esses aditivos têm um papel importante na indústria alimentícia. Porém, é importante consumi-los de forma moderada, principalmente pelas crianças, que são muito mais suscetíveis aos riscos apresentados. 

Glutamato monossódico

O glutamato monossódico, ou GMS, é uma substância classificada como intensificador de sabor, responsável pelo gosto “umami” — um dos cinco gostos básicos do paladar humano, que significa “gosto saboroso e agradável”. Por isso, a indústria de alimentos aproveitou a capacidade desse composto para tornar diversos produtos mais saborosos e, muitas vezes, mascarar a baixa qualidade deles. Hoje, o glutamato monossódico é comercializado até em forma concentrada para que possa ser adicionado às refeições.

Ao ingerir o GMS, ele é rapidamente absorvido pelo organismo, e o consumo em quantidades elevadas aumenta o nível cerebral e pode causar diversas reações, como hiperatividade, enxaquecas, vômitos etc. 

O glutamato monossódico é facilmente encontrado em alimentos processados (molhos para salada, maionese, comida congelada, sopas de pacote, entre outros) e deve ser consumido com moderação. Em caso de dúvida, fique sempre de olho no rotulo dos produtos ingeridos. 

Como evitar os realçadores de sabor

Já sabemos que, para manter uma alimentação saudável, é preciso evitar alimentos industrializados e cheios de aditivos. Os produtos in natura ou orgânicos são livres dessas substâncias. Além disso, já é possível encontrar artigos feitos sem aditivos ou somente com opções naturais. 

Prefira fazer suas refeições em casa e crie o hábito de ler o rótulo dos produtos — todos os itens que contêm algum realçador de sabor em sua composição devem ter essa informação na embalagem. Dessa forma, você terá mais controle e conhecimento sobre o que está ingerindo.

O realçador de sabor pode ter sido útil para a grande indústria alimentícia, mas para o nosso organismo está mais do que certo o quanto pode ser prejudicial. Agora que você conhece um pouco mais sobre o assunto, que tal pensar mais no seu corpo e tentar uma mudança nos seus hábitos alimentares?

E aí, gostou do artigo? Então, não deixe de assinar nossa newsletter para ficar por dentro de dicas de alimentação e receitas saudáveis para o dia a dia!