Louise Wallis é um nome para ser lembrado, principalmente pelos veganos. Isso porque, em 1994, a então presidente da Vegan Society da Inglaterra — a instituição vegana mais antiga do mundo — estabeleceu o Dia Mundial do Veganismo, comemorado no dia 1º de novembro, com o objetivo de chamar a atenção para uma filosofia de vida que descarta o consumo de qualquer produto de origem animal.

De acordo com uma pesquisa realizada pelo Ibope em 2012, a estimativa é de que 8% da população brasileira seja vegetariana e que, aproximadamente, 5 milhões de pessoas pratiquem o veganismo. E esse número tende a crescer ainda mais, uma vez que o mercado vegano cresce 40% ao ano no país.

E não é só no Brasil que as pessoas vêm abraçando ao veganismo em prol não apenas de sua saúde, mas de um mundo melhor. Países como a Alemanha, a Bélgica, a Suíça e a Áustria encabeçam a lista de nações com cada vez mais adeptos do estilo de vida.

Aproveitando o incentivo do dia do veganismo, nossa nutri, Cynthia Maureen, dá algumas dicas para quem quer seguir uma alimentação vegana e fala dos benefícios dessa rotina.

Benefícios do estilo de vida vegano

1. Pode salvar milhões de vidas humanas

Uma pesquisa publicada em março de 2016 no periódico Proceedings of the National Academy of Sciences revelou que, se todas as pessoas adotassem o veganismo, 8,1 milhões de vidas seriam salvas até 2050.

De acordo com os pesquisadores da Universidade de Oxford (Inglaterra), que foram os idealizadores do estudo, o número está relacionado com a menor incidência de doenças, como diabetes, obesidade, problemas cardíacos e câncer, comumente ligadas à alimentação que inclui produtos de origem animal.

2. Menor possibilidade de desenvolver câncer

No mês de outubro de 2015, a Organização Mundial da Saúde (OMS) emitiu um comunicado afirmando que o consumo excessivo de carnes processadas, como salsicha, presunto, salame, mortadela, carne seca e carne enlatada, aumenta o risco de desenvolvimento de câncer, principalmente o câncer colorretal. “Como a alimentação vegana exclui a ingestão dos itens citados, seus adeptos têm uma possibilidade menor de desenvolver a enfermidade”, pontua Cynthia.

3. Pode contribuir para o emagrecimento

Os adeptos do estilo de vida vegano não consomem gordura saturada encontrada em produtos de origem animal. A consultora da Superbom pontua que cada grama de gordura equivale a 9 Kcal, assim, ocorre uma redução significativa no consumo final de calorias diárias. “Por conter variedade de vegetais e artigos integrais, a alimentação vegana costuma ser rica em fibras. Isso fará com que as pessoas comam porções menores e aumentará a sensação de saciedade, contribuindo para o emagrecimento e também para o bom funcionamento do intestino”, afirma.

4. Salva animais dos abatedouros

Ao não comprar ou consumir produtos de origem animal, o indivíduo sabe que está contribuindo para a queda da demanda desses alimentos e, consequentemente, pela diminuição das mortes dos animais.

“É a melhor maneira de ajudar os animais e de acabar com o sofrimento deles. Nas fazendas industriais existem muitos casos em que eles são mantidos em condições ultrajantes e em espaços exíguos”.

5. Ajuda na sustentabilidade

A produção de carne afeta negativamente o equilíbrio do planeta pelos altos índices de desmatamento para pastagens para o rebanho bovino em regiões não recomendadas, como a Floresta Amazônica.

“De acordo com a FAO (Organização das Nações Unidas para Agricultura e Alimentação), é necessário 16 vezes mais água a fim de produzir uma libra (o equivalente a 0,453 kg) de proteína de carne comparada à proteína vegetal”, informa a especialista.

6. Afeta positivamente a economia

De acordo com a nutricionista, seguir um cardápio isento de artigos de origem animal não necessariamente compromete o orçamento familiar, muito pelo contrário: “em uma alimentação convencional, é o consumo da carne que acaba onerando as compras, já que o produto tem um alto valor agregado”.

No caso dos veganos, a base da alimentação inclui verduras, legumes, hortaliças e cereais, que são os artigos mais baratos nas gôndolas dos supermercados.

Dicas para seguir uma alimentação vegana

1. Faça a transição gradualmente

De acordo com a nutricionista da Superbom, ao fazer a transição para o veganismo é crucial não realizar mudanças drásticas dentro de um espaço muito curto de tempo, principalmente para aqueles que consomem produtos de origem animal frequentemente.

“No início da transição, escolha um dia da semana para ingerir apenas alimentos veganos e, posteriormente, de forma gradual, vá adicionando mais dias até que seu cardápio não tenha mais nenhum componente de origem animal”.

2. Liste os alimentos de origem animal que você consome e faça trocas saudáveis

Outra dica é fazer uma lista daqueles produtos de origem animal que estão presentes na sua rotina e procurar opções saudáveis para substituí-los. O mercado vegano vem trazendo cada vez mais opções sem a adição de qualquer componente animal na sua produção. Um exemplo disso são os snacks, os queijos veganos, os leites e as proteínas vegetais.

“Ao fazer a substituição, é preciso priorizar alimentos ricos em nutrientes. Recomendo uma atenção especial para fontes vegetais de cálcio, ferro e proteínas, como lentilha, soja, feijão, folhas verdes, grão-de-bico, entre outras”.

3. Conheça os estabelecimentos veganos perto de você

Com o mercado vegano crescendo com força no país, cada vez mais estabelecimentos vêm investindo em artigos veganos, tanto os restaurantes, que passaram a incluir pratos veganos em seus cardápios, quanto os mercados e as lojas de produtos naturais.

Atualmente existe, inclusive, estabelecimentos voltados exclusivamente para o público vegano. Procure conhecer esses locais na sua cidade e na internet.

4. Aprenda a preparar pratos veganos

Saber preparar seus próprios pratos em casa é muito importante, pois garante que você economize, tenha mais certeza da qualidade dos alimentos e ainda seja mais independente. Para aqueles que já sabem cozinhar, é fundamental reaprender a técnica utilizando produtos livres de componentes de origem animal.

É importante frisar que essas refeições devem ter valor nutricional, serem capazes de preencher bem o estômago e saciarem sua fome. Para facilitar na hora de decidir o que preparar e montar um prato saboroso e nutritivo, procure focar em três itens principais: a proteína, o ferro e o cálcio.

A proteína (vegetal, é claro) pode ser achada em diversos cereais e leguminosas, como feijão, soja, ervilha, lentilha e grão-de-bico. Já o ferro não-heme, que é o ferro contido em alimentos de origem vegetal, pode ser encontrado no feijão, na lentilha, e nas nozes — porém, como a absorção desse tipo de ferro é bem menor, é muito importante inserir na sua alimentação boas fontes de vitamina A e C, que são excelentes aliadas do ferro. O cálcio é encontrado em diversos grãos, nas folhas verde-escuras e no leite de soja.

5. Conte com a ajuda de um especialista

Tirar suas dúvidas com um médico ou nutricionista antes de aderir de vez ao veganismo, realizar alguns exames e receber a devida orientação de como fazer as substituições alimentares é importantíssimo.

De acordo com Cynthia, “conduzir o plano alimentar da maneira correta minimiza de forma substancial as chances de desenvolver déficits nutricionais. Lembrando que cada metabolismo tem sua especificidade e, em alguns casos, por exemplo, existe a necessidade de suplementação de vitaminas. Além da consulta inicial, minha orientação é realizar avaliações com frequência”.

Informação é essencial

Por fim, a especialista destaca que o mais importante quando o assunto é veganismo é a informação: “quanto mais a pessoa conhecer a procedência do que consome, as necessidades do próprio corpo e a composição de uma alimentação equilibrada, que seja capaz de fornecer os nutrientes necessários, mais certeza ela terá de que está no caminho certo quanto aos seus hábitos alimentares, melhorando, assim, sua qualidade de vida”, conclui a nutricionista e consultora da Superbom.

E aí, gostou das nossas dicas? Quer saber mais sobre o veganismo? Então, entre em contato conosco e conheça nossos produtos veganos!

Aproveite e baixe agora o APP Superbom!