Atualmente as pessoas estão ficando mais atentas aos rótulos dos alimentos. Lá estão sistematizadas todas as propriedades que os produtos trazem em sua composição. Isso ajuda muito aos que estão de dieta, possuem algum tipo de alergia ou, ainda querem evitar ou enfatizar alguns tipos de nutrientes em suas refeições.

É uma determinação legal que determina a todas as empresas colocarem a famosa tabelinha na embalagem dos seus produtos. Claro que muita gente tem dificuldade em entender aqueles nomes nem sempre comuns ao vocabulário leigo, mas, mesmo os que têm uma boa noção do que se trata, enfrentam, vez ou outra, alguns problemas para desvendar o “mistério” por trás de todos os conceitos ali apresentados.

Informações nutricionais das embalagens não refletem realidade infantil

Mas isso pode agravar quando se tem crianças em casa. Tem gente que quer saber se os índices contidos nas informações dos rótulos são válidos da mesma forma a adultos e crianças. Surpreendentemente, a resposta é “não”. Normalmente os valores são calculados tendo como referência os adultos. Ou seja, se você está adquirindo algum tipo de alimento e precisa ter o controle de uma propriedade que o seu filho não pode consumir, por exemplo. A referência que você utilizará do rótulo será fora da realidade do pequeno.

Claro que os produtos destinados a um público infantil apresentam sempre informações compatíveis às necessidades das crianças, mas, caso a mercadoria esteja fora desse padrão, os especialistas recomendam que se recorra a um especialista para que ele possa fazer as indicações com base em cálculos específicos da faixa etária. Aliás, é muito importante saber também que cada idade requer tipos e quantidades adequadas de nutrientes, fator que torna muito importante o acompanhamento profissional na nutrição infantil.

Você deve estar se perguntando se vale  ou não a pena se reportar aos rótulos. A resposta é simples: vale, mas as informações ali contidas não são precisas, elas apenas dão uma referência das necessidades nutricionais que os pequenos necessitam. Portanto, muita atenção e conte sempre com a ajuda do seu nutricionista para não errar!