Sempre falamos aqui sobre os danos que a carne traz aos seres humanos. Mas existe outro lado da moeda que nem precisa de boas justificativas para constatar as crueldades enfrentadas pelos animais para que possam servir de alimento aos humanos. Não importa o tipo de carne, todas tiveram de ser retiradas de um bicho que não tem nada a ver com o nosso caprichoso paladar. Já que é praticamente impossível acabar com a cultura de se consumir carne, é necessário garantir um tratamento menos sofrido possível aos animais que serão abatidos.

Diante dessa situação, o prefeito de São Paulo, Fernando Haddad (PT), sancionou o projeto de lei aprovado pela câmara de vereadores da cidade de São Paulo e proposto por Laércio Benko (vereador do PHS), que proíbe a comercialização e produção do foie gras nos restaurantes da capital paulista. Esse é um prato preparado com fígado de ganso. Para que se tenha a textura e o gosto característico do preparado, é necessário tratar o bicho em vida com o milenar método da gavage, que consiste em engordar de maneira forçada o animal, alimentando-o várias vezes por dia com um tubo de metal de 20 a 30 centímetros enfiado na garganta até o estômago.

Para obrigar o seu corpo a produzir o patê de fígado, a ave tem de engolir em poucos segundos uma quantidade determinada de milho, o que faz o fígado atingir praticamente dez vezes o seu tamanho normal, e desenvolve uma doença chamada esteatose hepática. A introduçao do tubo provoca lesões no pescoço onde ocorrem dolorosas inflamações e infecções. Esta desequilibrada superalimentação provoca doenças no sistema digestivo, que podem ser mortais.

O resultado de toda essa crueldade são pratos refinadíssimos que fazem parte da alta gastronomia do planeta. Diversos países discutem os processos que envolvem a criação dos gansos para se chegar ao estado “ideal” de abate (inclusive a própria França), mas isoladas são as iniciativas que tentam inibir a prática, que, obviamente, é defendida pelos chefes mais importantes do planeta.

A cidade de São Paulo saiu à frente e proibiu a venda do foie gras em seu território. Os restaurantes terão 45 dias para se adequarem à nova regra. Talvez esse seja o início de uma sociedade mais consciente e sensível ao tratamento com os animais.

Fonte: Stop Gavage e G1