Nessa onda atual de alimentação saudável um ponto que desespera muita gente é como fazer com que as crianças que são a todo momento bombardeadas com publicidades que enaltecem os encantamentos de comidas adocicadas, gordurosas e coloridas sejam atraídas por opções que façam bem à saúde. Realmente não é uma tarefa tão simples, mas com criatividade é possível tornar o paladar dos pequenos atrativo às frutas, verduras e vegetais de um modo natural.

Segundo um estudo publicado no British Journal of Nutrition, após analisar bebês na Grã-Bretanha, Portugal e Grécia, chegou a conclusão que dar legumes e verduras para uma criança nas duas primeiras semanas em que ela começa a comer é crucial para que ela consuma esses alimentos mais tarde. 

Pensando em ajudá-lo nessa missão, separamos quatro importantes dicas para fazer da alimentação natural mais presente na vida das crianças de maneira simples e divertida. Anote!

Leve a criança à feira

Mostre ao seu pequeno que há um mundo de cores muito além daquela mesa de balas presente nas festas infantis. Deixe que toquem, que peguem, que peçam para você comprar isso ou aquilo. E claro, peça ajuda dela para escolher os tomates mais bonitos, por exemplo. O simples ato de tocar leva a criança a ter o senso de realidade, de existência.  

Abuse do colorido

Invista na mistura de vegetais de cores diversas e use, se possível, forminhas especiais para cortar legumes. Na idade pré-escolar, a criança se sente atraída por apresentações curiosas de alimentos. Decore o prato de um jeito bem divertido. Faça uma carinha no sanduíche. Use a criatividade: pedaços de tomate podem transformar almôndegas em “joaninhas”. Você também pode dar nomes divertidos aos pratos para ficar ainda mais lúdico. As diversas preparações de um mesmo alimento também ajudam muito. Você pode com a beterraba, por exemplo, criar um chips de beterraba, usá-la ralada in natural ou até mesmo criar um purê. A cor vai ficar linda e tudo estará muito saudável. 

via GIPHY

Incremente frutas e legumes no lanche

Na maioria das vezes a gente só pensa nesses vegetais para o cardápio do almoço e o do jantar momentos, por natureza, mais formais, já que a criança deve ficar sentada à mesa por mais tempo, o que nessa idade nem sempre é simples. Que tal oferecer um mini cachorro-quente que, em vez de batata palha, tenha cenoura crua ralada? Ou um hambúrguer pequeno com folhas de alface? São substituições saudáveis e que ajudam a transformar cada refeição em uma nova descoberta para o paladar infantil, e adulto também.

Dêem o exemplo como pais

Será que você tem exigido do seu filho aquilo que nem você consegue fazer? Essa é uma das dicas mais importantes, pois não adianta nada você tentar estimular a alimentação saudável na criança e você mesmo não praticar. Não se esqueça que elas se espelham em seus educadores, sejam pais, familiares ou professores para a formação de suas próprias práticas.

Esse conteúdo foi útil para você? Aproveite para compartilhar com a sua rede de amigos. Comente também como você estimula seu filho a comer de forma mais saudável. As dicas podem ser valiosas para outros pais. 🙂