Para chegarmos próximo ao ideal de saúde é importante considerarmos diversos aspectos da nossa rotina: boa alimentação, atividades físicas, hábitos cotidianos regrados e questões relacionadas ao meio ambiente que estamos inseridos.  Um desses fatores é a qualidade do ar.

As cidades precisam receber grandes indústrias para que a economia local seja sustentada com a geração de oportunidades, renda e emprego aos moradores da região, mas, mesmo com critérios ambientais estipulados pela legislação federal, nem todas empresas estão antenadas e comprometidas em minimizar as emissões de gases que prejudicam o planeta e o ser humano de forma direta.

Esse é um grave problema que as grandes metrópoles mundiais estão enfrentando.

Poluição-do-ar

Agregar sustentabilidade ao crescimento é um desafio. Cidades como Nova Déli (capital da Índia) e Pequim (capital da China) enfrentam cada vez mais ondas de poluição que chegam a limitar fortemente a visão com densas névoas de gases emitidos por indústrias na região.

A ONU alerta para as consequências graves que a inalação desses resíduos pode trazer, que geram desde doenças respiratórias até canceres variados.

Por isso, é importante também se atentar para as condições ambientais do lugar onde você está morando, já que não adianta muito ter uma vida moderada em diversos aspectos e respirar gases tóxicos que fazem tão mal (ou muitas vezes pior) do que alguns hábitos alimentares condenados, por exemplo.

Para que você se informe melhor e fique atento a essa questão, o Blog da Superbom deixa abaixo a lista das cidades brasileiras com os piores índices de poluição do ar, segundo um ranking divulgado pela OMS. O mais surpreendente é que a primeira colocada não é uma capital. Veja:

1 – Santa Gertrudes (SP)

2 – Rio de Janeiro (RJ)

3 – Belo Horizonte (MG)

4 – Rio Claro (SP)

5 – Limeira (SP)

6 – Colombo (SP)

Outras capitais que aparecem na lista:

São Paulo (SP)

Curitiba (PR)

Vitória (ES)

Salvador (BA)

Fonte: Época