Aquela sementinha que anda sendo muito usada em várias combinações de alimentos, além de ser considerada um alimento altamente nutritivo, é considerada por especialistas de saúde um anti-inflamatório natural, podendo ser usada como aliado no combate a algumas doenças crônicas típicas da modernidade, como câncer, diabetes e colesterol.

De acordo com a Academia de Nutrição e Dietética dos Estados Unidos, adicionar chia na alimentação pode ajudar a diminuir o risco de doenças cardiovasculares. A gordura presente na semente, não só ajuda a diminuir o colesterol como também funciona como coadjuvante no controle da pressão arterial.

A chia contém um alto teor de antioxidante, um papel muito importante na prevenção do câncer. Pelo fato de a sociedade vangloriar a magreza, muita gente associa alimentos ricos em gordura a um daqueles pecados proibidos. Mas não é bem assim. Ninguém vai cometer pecado nenhum se consumir gorduras boas, como o ômega-3, presente em abundância na chia.

Uma outra gordura boa presente na chia é o ômega-6. Apesar de também ser considerado essencial, é preciso ter cuidado com o excesso de consumo desse ômega-6, em excesso, pode danificar as células e embaralhar o funcionamento do cérebro e ainda dificulta a absorção do Ômega -3.

Uma dica: Além de enriquecer qualquer prato, da salada à vitamina de frutas, a chia substitui tranquilamente o ovo em diferentes receitas, como bolos e massas salgadas. Isso graças a mucilagem, que também consegue colocar até o intestino mais preguiçoso para funcionar, e é capaz de dar a liga necessária em algumas receitas.

Muitos benefícios já foram citados, mas entre eles tem a melhora da qualidade da pele porque sua gordura protege contra a radiação ultravioleta, reduzindo quadros inflamatórios. O Ômega-3 também retarda o envelhecimento precoce e ainda diminui o risco de câncer de pele.

Com tantas qualidades, está mais que na hora de você dar uma chance a essa semente superpoderosa!